Ir para conteúdo

  • Entrar usando o Facebook Entrar usando o Twitter Entrar usando o Windows Live Login com Steam Login com Google      Entrar   
  • Cadastre-se

Ícone Classificados

Adicionar um Anúncio

Redes Sociais

Membros VIP mais recentes


Foto
- - - - -

Experiência profissional


Este tópico foi arquivado. Isto significa que você não pode mais responder ao tópico.
22 respostas neste tópico

#1 Mr Gigabyte

Mr Gigabyte
  • Membros Plenos
  • 443 posts
  • Membro desde 19/03/2008
0

Postado 14 de abril de 2010 - 14h26min

Olá, gostaria da opinião de alguém experiente em qualquer área, para me explicar sobre a experiência de trabalho que aparece nos anúncios de empregos, assim, tem lá escrito a vaga o nome da empresa a escolaridade que pode ser ensino médio completo, superior incompleto , a a experiência profissional que pode ser de 6 meses a 3 anos, mas o que quero saber mesmo é:
Se não tenho experiência nenhuma na vaga por exemplo de auxiliar de escritório e pedem lá no anúncio 6 meses ou 1 ano de experiência, se eu já tiver o curso pra esse cargo não é garantia de que o patrão vá me contratar nê, ou eu tenho que convecer ele que tenho conhecimento necessário pra conseguir a vaga ? :unsure:


#2 shark

shark
  • Membros Plenos
  • 242 posts
  • Membro desde 11/05/2005
1

Postado 14 de abril de 2010 - 15h33min

Se a vaga pede experiência, provavelmente ela exige mais conhecimentos, do que uma vaga de "auxiliar de escritório". Se for um pré-requisito, provalvemente se você tentar se aplicar a vaga e você não possuir nenhuma experiência comprovada, provavelmente não irão lhe chamar. E não, curso não substitui experiência.

Asus M4A78LT-M-LE - AMD Athlon II X2 250 3.0GHz - Kingston 1x1 2GB DDR3 1333MHz + Kingston 1x1 4GB DDR3 1333MHz - Xfx GeForce GTX 550Ti - Seagate 1TB + Seagate 500GB - Seagate External 500GB - Steelseries Kinzu - Extream 450W - Samsung 23' Full HD

#3 Quemel

Quemel
  • Banidos
  • 847 posts
  • Membro desde 25/09/2003
1

Postado 14 de abril de 2010 - 22h03min

Caro Mr. Gigabyte,

em muitos casos o "portfólio de realizações" pode ser superior ao Curriculum Vitae.

Nem sempre o fichado na carteira de trabalho é o que vale para o empregador consciente.

Bração e boa $orte,
Quemel


#4 Mr Gigabyte

Mr Gigabyte
  • Membros Plenos
  • 443 posts
  • Membro desde 19/03/2008
0

Postado 15 de abril de 2010 - 13h39min

Olha, então por que eles colocam no anúncio vaga tal com ou sem experiência?
Essa frase sem experiência é só pra chamar a atenção? :unsure:


#5 Quemel

Quemel
  • Banidos
  • 847 posts
  • Membro desde 25/09/2003
1

Postado 16 de abril de 2010 - 11h53min

Caro Mr. Gigabyte,

o CV ou Portfólio de Realização serve para "cavar" a entrevista. Nunca tive um bom CV, mas em compensação o Portfólio....

Geralmente a vaga para os sem-experiência é de baixíssimo nível, geralmente recebem em forma de comissão se venderem algo. Tipo corretor de imóveis. Se você tiver boa lábia e vender uma casa de R$ 5 milhões, ganha uma comissão de 5%. Tá bom?

Bração e boa $orte,
Quemel


#6 Mr Gigabyte

Mr Gigabyte
  • Membros Plenos
  • 443 posts
  • Membro desde 19/03/2008
0

Postado 16 de abril de 2010 - 17h01min

Então, esse portifólio na área profissional tem haver com as experiências que uma pessoa tem numa área específica, assim, na área de informática a pessoa tem um curso básico de office outro curso de Internet e por aí vai, é assim mesmo ?

Editado por Mr Gigabyte, 16 de abril de 2010 - 17h17min.


#7 Quemel

Quemel
  • Banidos
  • 847 posts
  • Membro desde 25/09/2003
1

Postado 16 de abril de 2010 - 21h36min

Caro Mr. Gigabyte,

não! Isso tem a ver com o CV de cursos.

O Porfólio de Realizações é, mesmo não tendo um diploma, certificado ou outro papel que comprove a experiência a pessoa ainda sim faz a diferença.

Vamos dar um exemplo.

Uma pessoa não será contratada apenas porque cursou 100 horas de um curso de Operação de Computadores composto do Office 2007, mas....

Se no CV estiver assim...

"De 2008 a 2009 informatizou os pedidos dos clientes usando macros do Excel...

"De 2007 a 2008 integrou as bases de dados em Access, emitindo relatórios em Word com análise de dados nas tabelas dinâmicas do Excel.....

Entendeu?

Se a pessoa te contratar não vai ser pelo curso que atualmente não é diferencial, posto que é obrigatório a pessoa se alfabetizar digitalmente.

Te contratará pelo que você pode obter de retorno para a empresa, isto é, aumentando a lucratividade e diminuindo custos operacionais em função dos seus conhecimentos.

Bração e boa $orte,
Quemel


#8 Mr Gigabyte

Mr Gigabyte
  • Membros Plenos
  • 443 posts
  • Membro desde 19/03/2008
0

Postado 17 de abril de 2010 - 14h22min

Ok! assim, se eu sou funcionário de uma empresa fictícia, eu sei digitar com habilidade mas não sei fazer a manutenção no teclado nem desmontar um computador e verificar um defeito nele, sería mais ou menos assim. :unsure:


#9 Quemel

Quemel
  • Banidos
  • 847 posts
  • Membro desde 25/09/2003
1

Postado 17 de abril de 2010 - 20h03min

Ok! assim, se eu sou funcionário de uma empresa fictícia, eu sei digitar com habilidade mas não sei fazer a manutenção no teclado nem desmontar um computador e verificar um defeito nele, sería mais ou menos assim. :unsure:



Caro Mr Gigabyte,

NÃO! Saber digitar com habilidade não é diferencial.

Bb$,
Q.


#10 Mr Gigabyte

Mr Gigabyte
  • Membros Plenos
  • 443 posts
  • Membro desde 19/03/2008
0

Postado 18 de abril de 2010 - 14h59min

Então, se no meu Curriculum tem lá curso disso curso daquilo por exemplo informática básica como eu citei acima, digitação , outro curso por exemplo: auxiliar de escritório, curso de auxiliar de contabilidade , tenho esses cursos, tudo bem, mas se eu nunca trabalhei como: digitador, auxiliar de escritório e auxiliar de contabilidade aí eu não vou poder colocar no meu curriculum as atividades que faz um digitador, auxiliar de escritório e de contabilidade, por que não tenho experiência, não é isso. Se eu estiver errado por favor! me corrija.:unsure:


#11 Quemel

Quemel
  • Banidos
  • 847 posts
  • Membro desde 25/09/2003
1

Postado 18 de abril de 2010 - 22h08min

Caro Mr. Gigabyte,

Sim, você está errado e como me permitiu corrigir, vamos tentar novamente.

Experiência não vem só do trabalho profissional. Fiz muito trabalho voluntário e com isso ganhei uma experiência excepcional, fabulososa mesmo.

De 1988 a 1998 trabalhei em uma instituição religiosa e quando a informática chegou por lá em 1991 fui o responsável pela início da informatização. Não sabia muito coisa sobre informática. Dominava Clipper e com o desejo de aprender estudei cada vez mas.

Você pode ter um curso de auxiliar de contabilidade e nunca ter tido uma experiência profissional assinalada em carteira de trabalho, mas se você por algum motivo tenho usado esse conhecimento e posto em prática, o que seria?

Não desista, eu sei o quão difícil é para superar essa visão linear, mínima, mas é possível.

Publique em meu blog um especial sobre Leonardo da Vinci & Estagiários. Veja o que ele tem a falar sobre estágios e experiências.

Bração e boa $orte,
Quemel


#12 Mr Gigabyte

Mr Gigabyte
  • Membros Plenos
  • 443 posts
  • Membro desde 19/03/2008
0

Postado 19 de abril de 2010 - 10h33min

Entendi, você falou da linguagem de programação clipper , que é uma linguagem que você domina até hoje, assim, se tenho o curso de auxiliar de contabilidade por exemplo, depois que fiz o curso eu dominei essa área e pratiquei muito, mas voltando pro lado do trabalho o patrão ou o chefe quer um funcionário ágil, versátil muito inteligente, se eu chego nessa empresa e a vaga lá é de técnico em contabilidade ou auxiliar de contabilidade, e ele pede experiência, se eu mostrar pra ele que sei fazer o serviço domino mesmo essa área , ele me contrata? :unsure:


#13 shark

shark
  • Membros Plenos
  • 242 posts
  • Membro desde 11/05/2005
1

Postado 19 de abril de 2010 - 14h18min

Mr Gigabyte,

O problema é que quando você for para uma entrevista, você não irá falar diretamente com o patrão (geralmente) e muito menos ter oportunidade de mostrar suas habilidades. Geralmente você terá uma entrevista com alguém do RH, poderá ou não ter uma prova escrita, e/ou (não) uma dinâmica em grupo. Então, as suas habilidades profissionais na vaga pretendida, geralmente só é mostrada quando você pega no batente :)

Asus M4A78LT-M-LE - AMD Athlon II X2 250 3.0GHz - Kingston 1x1 2GB DDR3 1333MHz + Kingston 1x1 4GB DDR3 1333MHz - Xfx GeForce GTX 550Ti - Seagate 1TB + Seagate 500GB - Seagate External 500GB - Steelseries Kinzu - Extream 450W - Samsung 23' Full HD

#14 Quemel

Quemel
  • Banidos
  • 847 posts
  • Membro desde 25/09/2003
1

Postado 19 de abril de 2010 - 15h51min

Entendi, você falou da linguagem de programação clipper , que é uma linguagem que você domina até hoje, assim, se tenho o curso de auxiliar de contabilidade por exemplo, depois que fiz o curso eu dominei essa área e pratiquei muito, mas voltando pro lado do trabalho o patrão ou o chefe quer um funcionário ágil, versátil muito inteligente, se eu chego nessa empresa e a vaga lá é de técnico em contabilidade ou auxiliar de contabilidade, e ele pede experiência, se eu mostrar pra ele que sei fazer o serviço domino mesmo essa área , ele me contrata? :unsure:


Caro Mr. Gigabyte,

é exatamente isso que a maioria das pessoas não sabem fazer quando não possuem um CV: mostrar o que sabem fazer.

Por isso a importância do portfólio de realizações. Se você não consegue "mostrar" um serviço no seu portfólio, como a empresa poderá te contratar?

Veja, ninguém vai te contratar a não ser que você tenha experiência (profissional ou não) a não ser que você prove isso.

Experiência profissional seria a registrada em sua carteira de trabalho, mas e se você teve uma experiência, mas em nível voluntário?

Como você acha que as pessoas que prestam serviços podem provar as suas experiências?

Continuemos com a discussão!

Bração e boa $orte,
Quemel


#15 Mr Gigabyte

Mr Gigabyte
  • Membros Plenos
  • 443 posts
  • Membro desde 19/03/2008
0

Postado 19 de abril de 2010 - 17h29min

A experiência de nível voluntário que você disse tem haver com o conhecimento que a pessoa teve trabalhando voluntariamente, sem patrão nê, se por exemplo eu tenho o curso de informática básica windows, word, excel, internet e outros, eu dominei todos esses programas só praticando sem trabalhar em nenhuma empresa, nessa caso já posso colocar no Curriculum o meu portifólio informando esse conhecimento ou não tem nada a ver ?

Editado por Mr Gigabyte, 10 de maio de 2010 - 10h55min.


#16 Quemel

Quemel
  • Banidos
  • 847 posts
  • Membro desde 25/09/2003
1

Postado 19 de abril de 2010 - 18h07min

[...] ele me perguntou o seguinte: o que me chamou atenção no anúncio?
:unsure:




Caro Mr. Giga,

valeu!

Estamos avançando.

Esse tipo de pergunta é típico, pois já fui profissional de RH.

Na verdade o que ele queria saber, era:

O que você pode fazer pela empresa e não a empresa pode fazer por você...:lol:

Bb$,
Q.


#17 shark

shark
  • Membros Plenos
  • 242 posts
  • Membro desde 11/05/2005
1

Postado 20 de abril de 2010 - 19h46min

Ok! sobre essa dinâmica de grupo eu ouvi falar que tem muita naquela empresa Contax, não sei se tem prova escrita, mas de tanto as pessoas falarem dessa dinâmica até parece que nessa parte é que elimina o candidato, até por que muita gente tem medo de falar em público e mostrar na frente de todo mundo o que você sabe fazer, quando eu participei de uma entrevista para a vaga de operador de telemarketing sem experiência , eu fui eliminado, fiquei tranquilo mas disse uma coisa lá que não tinha nada a ver com a pergunta do entrevistador, foi numa sala onde estavam chamando as pessoas de cinco em cinco, me sentei respirei fiquei tranquilo, quando o entrevistador chamou meu nome , ele me perguntou o seguinte: o que me chamou atenção no anúncio?
então eu disse, o salário e outra coisa que não tô lembrando agora, mas depois de tudo isso, só ficou duas pessoas e uma dessas pessoas que ficou estava na minha frente no grupo dos cinco, quando saí fiquei um pouco chateado, e falei: deixa pra próxima, quando vim pelo caminho eu tentei me lembrar do que o rapaz que estava na minha frente falou quando ele respondeu essa pergunta, ele disso mais ou menos assim: é o meu sonho ficar nessa cargo, e outra coisa lá, então pensei no seguinte: essa pergunta do entrevistador foi uma casca de banana, porque só ficou duas pessoas ! :unsure:


Em geral eu concordo com você: quem é mais estrovertido, sociável e comunicativo, tem mais vantagens diante de uma dinâmica de grupo, ou até de um entrevista 1 a 1. O mais importante é você nunca mentir ou tentar mostrar ser uma pessoa que você não é. Se você for você mesmo, e eles te contratarem, parabéns, terá sido 100% por seu mérito e alguma coisa (ou muitas) chamaram atenção do contratador. Agora se você se posa de uma pessoa, fala mentiras e chega na hora do vamos ver, eles vêem que você não era aquela pessoa que se mostrou, só fará com que suje a sua reputação. E lembre-se, contatos dentro do mercado profissional é tudo, então lembre que alguém dentro ou fora da empresa sempre terá contatos com outros, então se você cria uma imagem positiva ou negativa, esta pessoa poderá levar isso pra fora do ambiente de trabalho, fazendo assim a sua reputação subir, ou descer radicalmente.

Asus M4A78LT-M-LE - AMD Athlon II X2 250 3.0GHz - Kingston 1x1 2GB DDR3 1333MHz + Kingston 1x1 4GB DDR3 1333MHz - Xfx GeForce GTX 550Ti - Seagate 1TB + Seagate 500GB - Seagate External 500GB - Steelseries Kinzu - Extream 450W - Samsung 23' Full HD

#18 Quemel

Quemel
  • Banidos
  • 847 posts
  • Membro desde 25/09/2003
1

Postado 21 de abril de 2010 - 09h38min

Em geral eu concordo com você: quem é mais estrovertido, sociável e comunicativo, tem mais vantagens diante de uma dinâmica de grupo, ou até de um entrevista 1 a 1. O mais importante é você nunca mentir ou tentar mostrar ser uma pessoa que você não é. Se você for você mesmo, e eles te contratarem, parabéns, terá sido 100% por seu mérito e alguma coisa (ou muitas) chamaram atenção do contratador. Agora se você se posa de uma pessoa, fala mentiras e chega na hora do vamos ver, eles vêem que você não era aquela pessoa que se mostrou, só fará com que suje a sua reputação. E lembre-se, contatos dentro do mercado profissional é tudo, então lembre que alguém dentro ou fora da empresa sempre terá contatos com outros, então se você cria uma imagem positiva ou negativa, esta pessoa poderá levar isso pra fora do ambiente de trabalho, fazendo assim a sua reputação subir, ou descer radicalmente.


Caro shark,

também concordo com você. Não adianta ser extrovertido e ter muita lábia que cedo ou tarde o pessoal do RH descobre.

O importante é fazer.

Bração e boa $orte,
Quemel

P.S Há ém alguns casos é muito fácil enganar selecionadores, são os entrevistados profissionais.

Veja abaixo uma entrevista com Leonardo da Vinci sobre experiência profissional e estágios. Um Trabalho jornalístico de ficção histórica:

Q: Messer Leonardo, atualmente os estagiários vivem a “síndrome do biscoito”, não arranjam estágio porque não possuem experiência e nem possuem experiência porque não arranjam estágio. Como sair desse dilema?
LV: Filho, não é um dilema, pois o conceito deste permite uma saída favorável. Estamos diante de um impasse, situação mais difícil.

Q: Messer Leonardo, se apenas “parece” então como resolver o problema?
LV: Filho, não precisas me chamar de Messer.

Q: Se o senhor evitar me tratar como “filho” (risos), aquiesço ao pedido.
LV: A ideia para amenizarmos o problema da “síndrome do biscoito” é superarmos a “cultura do atalho”. Os estagiários estão impregnados de experiências do tipo: “como detonar no currículo”, “como se dar bem na seleção”, “como ler a mente do entrevistador”, “como isso”, “como aquilo”, que acabam por ser engolidos pela cultura do atalho. Grande parte não constrói mais nada, tudo já está pronto: currículo, entrevistas, respostas, etc.

Q: Os aprendizes estão sobrecarregados de conceitos de autoajuda?
LV: Intoxicados de tantas formulas prontas de sucesso, essa é a verdade. E os recrutadores também. Ou tu achas que tudo que é publicado visando queimar etapas não é de conhecimento dos profissionais selecionadores?
Q: Se há tantas receitas de sucesso, por que então conseguir estágio fica cada vez mais difícil? Como conseguir a tão desejada experiência?
LV: Voltamos ao ponto inicial: “como fazer isso”, “como fazer aquilo”. Não há respostas prontas. O estagiário deve sair da posição de “estagnário” e passar para o papel de curioso profissional. Mudar a forma de pensar. Alguns ainda pensam como se estivessem na era das cavernas, ou seja, veem apenas uma única realidade, linear.
Por que o trabalho de um estudante ao colaborar na preparação de eventos na semana acadêmica em sua escola deve ser desconsiderado? Por que a digitação de fichas cadastrais é valorizado apenas porque consta na caderneta de trabalho?

Q: Então um currículum vitae (CV) não tem valor? Devemos desprezá-lo? Mas quem não possui nenhuma experiência?
LV: Estagiário até pela pouca experiência não tem mesmo CV, mas com certeza possui um portfólio de realizações. Em muitos casos ele é superior ao currículum. Muito superior. Imagine um estudante que ao colaborar na semana de tecnologia de sua escola, desenvolveu vários papéis: negociador, assessor de imprensa, líder, responsável pelo sistema de banco de dados, organização dos estudantes. Isso não ficará registrado na caderneta de trabalho nem no CV, mas é muito superior quando contido no portfólio de realizações.

Q: Quer dizer que isso seria um CV de realizações para os alunos?
LV: Detesto alunos. [Saiba mais aqui]

Editado por Quemel, 21 de abril de 2010 - 09h46min.
Inserção da Entrevista com Leonardo da Vinci


#19 Mr Gigabyte

Mr Gigabyte
  • Membros Plenos
  • 443 posts
  • Membro desde 19/03/2008
0

Postado 10 de maio de 2010 - 11h27min

Como eu disse antes, sobre trabalho sem experiência de carteira, assim que eu terminei o ensino médio eu brinquei um pouco sabe, deixei pra lá esses cursos técnicos de 600h, assim, não me enteressei sabe, aí pra me aventurar eu fiz esses cursos livres de manutenção de micro e redes básico, só agora com 28anos é que eu acordei e estou entendendo como é o mercado de trabalho, então assim, se tenho só esses cursos livres que é uma introdução para técnico em informática, chegando numa empresa ou loja eles não vão aceitar o meu certificado por causa da carga horária do curso que foi de 80h, agora vou falar sobre os cursos de informática básica, windows, word, excel, internet e outros, tenho esse curso completo com certificado de 2002 só preciso me atualizar para office 2007, então assim, dominando todo o pacote do office e outros cursos que eu já fiz, já posso colocar no meu portifólio que: domino o pacote office e internet (sem navegar atualizar contatos de e-mails essas coisas) tudo isso já mostra o que eu sei fazer (mais não é suficiente)? se não tem nada a ver pode me responder rsss. obrigado :unsure:

Editado por Mr Gigabyte, 10 de maio de 2010 - 23h12min.


#20 Quemel

Quemel
  • Banidos
  • 847 posts
  • Membro desde 25/09/2003
1

Postado 13 de maio de 2010 - 09h51min

Caro Mr. Gigabyte,

vejo que você possui em um grau menor um contato com esses aplicativos, mas não o suficiente para conseguir uma vaga remunerada.

Outra dificuldade que percebi é sua capacidade de comunicação. Seus posts são muito confusos. Aperfeiçoe essa capacidade para você aumentar sua "empregabilidade".

Pense na possibilidade de trabalhar como prestador de serviços.


Bração e boa $orte,
Quemel