Ir para conteúdo

  • Entrar usando o Facebook Entrar usando o Twitter Entrar usando o Windows Live Login com Steam Login com Google      Entrar   
  • Cadastre-se

Foto
- - - - -

[Tutorial] Como Ripar CD Corrretamente com o Exact Audio Copy (EAC)

eac exact audio copy flac lame ripar cd

  • Por favor, faça o login para responder
165 respostas neste tópico

#1 DoctorBR

DoctorBR

    Novato

  • Membros Plenos
  • Pip
  • 111 posts
  • Membro desde 12/05/2008
7
Neutra
  • Goiânia, Goiás

Postado 17 de maio de 2008 - 16h34min

Como Ripar CD Corrretamente com o Exact Audio Copy (EAC)



Winamp, Windows Media Player e o iTunes são players, não ripadores. Até que eles são capazes de ripar, mas seria o mesmo que dizer que qualquer água no banheiro pode ser usada para escovar os dentes.


Sumário

1. Introdução do Guia Passo a Passo

2. Instalação (EAC e ASPI)
2.1. Configurando as Opções no Exact Audio Copy (EAC)
2.2. Verificando ou Configurando as Opções do CD-ROM
2.3. Configurando as Opções do Codec FLAC
2.4. Salvando as Opções de Compressão para um Perfil

3. Usando o EAC
3.1. Ripando um CD de Áudio

4. Configurando as Opções do Codec LAME mp3

5. Configurando as Opções da Guia “External Compression” Para Ripar como WAV

Software: Exact Audio Copy (EAC), Codec FLAC e Codec LAME mp3
Autor: DoctorBR
Plataforma: Windows
Preço: Freeware (totalmente gratuito)


1. Introdução do Guia Passo a Passo

Este é um detalhado e atualizado guia para configurar o melhor extrator de CDs para Windows, também conhecido como Exact Audio Copy ou EAC. Ele guiará você através das instalações, configurações do utilitário, configurações do CD-ROM, configurações e opções dos codecs FLAC, e LAME mp3, e é claro, como ripar um CD de áudio corretamente.

Este guia mostrará as especificações mais importantes que farão uma ripagem correta, sem ter que dar um monte de informações que não são tão fáceis para membros com pouca experiência entenderem. A primeira vista, este guia pode parecer chato ou gigantesco, e até difícil, mas as configurações iniciais do Exact Audio Copy (a partir de agora usarei a abreviação EAC) e as configurações dos codecs FLAC e LAME são rápidas e simples e você precisará fazê-las somente uma vez..

Se você me perguntar por que deve usar o EAC e não o AudioGrabber, WinDAC, Easy CD-DA Extractor e etc., eu lhe direi que o EAC tem funções avançadas e modos de leituras especiais, conhecidas como Secure Modes (Modos Seguros). Usando os Secure Modes todo setor lido será duplamente checado e relido ou corrigido, se necessário. Muitos erros, como distorções, faixas pulando, clicks, pops e etc. acontecem durante a extração (ripagem) na maioria dos CD-ROMs, assim, usando os “Secure Modes” a faixa será lida corretamente. O EAC funciona até com os drives de CD-ROM mais antigos e consegue ler corretamente muitos CDs arranhados, o que não acontece com outros ripadores, que lêem qualquer coisa, mas lêem errado. Esse é o grande problema de ripadores que não possuem funções avançadas.


NOTA
Você pode usar o EAC para ripar (extrair músicas de CDs) como WAV, Apple Lossless (ALAC ou ALE), WMA, AAC, MP3 e etc. O mais importante é usar o utilitário para ripar corretamente os CDs. Também é muito importante usar um codec sem perda de qualidade (lossless) para extrair e armazenar suas músicas como um máster (backup dos seus CDs) e, caso seja necessário fazer um downsample (reduzir o bit rate) faça-o em uma cópia e salve de acordo com seu propósito. Por exemplo, quando quiser colocar músicas no seu MP3 Player. Desta forma a música extraída (a máster) sem perda nenhuma de qualidade de áudio será mantida. Este processo exige que o codec FLAC seja usado em conjunto com o EAC. Clique aqui para saber mais sobre o codec FLAC.


2. Instalação (EAC e ASPI)

O primeiro passo é instalar o EAC. Você pode baixá-lo clicando aqui.

Quando a instalação terminar, clique no botão “cancel” para que o programa não inicie. Você também precisa de um ASPI funcionando caso esteja usando o Windows XP.

OBS.: Se seu sistema operacional for o Windows 7 não é necessário instalar a ASPI, pois a mesma foi atualizada. Caso contrário, continue com a instalação!

Se você tem o Nero instalado no Windows XP você pode copiar o arquivo wnaspi32 (arquivo .dll) da pasta de instalação dele (C:Arquivo de Programas Ahead Nero) diretamente para a pasta do EAC (C:Arquivo de Programas Exact Audio Copy) depois que a instalação do EAC terminar, é claro. Observe que você vai copiar, e não recortar da pasta. Se você não tem o Nero, clique aqui para baixar o ASPI e as instruções de como instalá-lo.

OBS. Este guia foi feito para ser usado com a versão 0.99 Prebeta 4 do EAC, porém pode ser usado sem nenhum problema com versões mais novas, só que poderá diferir em alguns pontos, principalmente porque o codec FLAC e CDRDAO foram incluídos na versão 0.99 Prebeta 4 e são instalados em sub pastas dentro da pasta principal de instalação do EAC.

Você pode ir seguindo o guia, passo a passo, mas recomendo ler o tutorial todo para se familiarizar um pouco e só depois segui-lo. Também é muito importante que você entenda o que está fazendo, se achar que o guia é difícil para você, peça ajuda a um amigo ou clique no botão RESPONDER para tirar suas dúvidas, terei o maior prazer em lhe ajudar.

- Depois da instalação, copie o wnaspi32.dll conforme os passos citados acima e abra o EAC.

- Se ele mostrar a janela Welcome to the EAC setup wizard! clique em “cancel” e então feche o EAC e abra-o novamente.


2.1. Configurando as Opções no Exact Audio Copy (EAC)

Antes de qualquer coisa, selecione o CD-ROM que você usará para extrair (ripar) músicas no menu suspenso na parte superior esquerda, próximo à barra de menus.

clique aqui para ver a imagem


Depois pressione o F12. Você pode digitar seu próprio e-mail se quiser, ou pode deixar uber@ubernet.org como o e-mail padrão. Clique no botão Get active freedb server list . Selecione um servidor no menu suspenso. O servidor padrão será destacado, mas como você pode ver existem vários servidores. Selecione o que você quer usar e clique “OK”. Ou deixe o servidor padrão. Antes de prosseguir para o próximo passo, marque a opção “On a connection error, retry query using a different server from the server list”.

Clique no botão “OK” e prossiga para o próximo passo.

clique aqui para ver a imagem

Pressione F9 e selecione a guia “Extraction”. Marque “'Fill up missing offset samples with silence” e “'Synchronize between tracks”, caso não estejam marcadas por padrão. Também mude o “Error recovery quality” para “High”. Por questões de segura você pode marcar a opção “Lock drive tray during extraction”, caso não esteja marcada por padrão: Esta opção travará seu CD-ROM enquanto a extração estiver sendo feita e mesmo que o botão de abrir seja pressionado, a bandeja não abrirá.

Confira se todas as opções estão iguais as da imagem abaixo e prossiga.

clique aqui para ver a imagem


Na próxima guia (General) marque as seguintes opções:

- On unknown CDs, automatically access online freedb database; Quando você inserir um CD no seu CD-ROM o EAC automaticamente pesquisará pelo Artista, Álbum e Nome das Músicas no banco de dados do freedb online. Isto poupará você de ter que digitar tudo se o CD for encontrado no banco de dados online.

- When using the Power Down feature, wait for external compressors.

Confira se todas as opções estão iguais as da imagem abaixo e prossiga.

clique aqui para ver a imagem


Na terceira guia (Tools) você também precisa configurar algumas opções, então marque:

- Use CD-Text information in CUE sheet generation;

- Create '.m3u' playlist on extraction e na sub-opção marque 'Write m3u playlist with extended information'; Esta opção fará o EAC incluir informações adicionais, como o tempo de cada música na playlist (lista de músicas).

- Automatically write status report after extraction; Esta opção fará o EAC criar um Log File (relatório da situação de cada arquivo) logo depois da extração. Este relatório mostrará possíveis erros e também as configurações usadas. Esta opção é muito importante e o Log File deve ser salvo na mesma pasta das músicas.

- On extraction, start external compressors queued in the background; Esta opção controla quantos compressores o Windows abrirá enquanto você estiver ripando. É desnecessário selecionar mais do que um.

Confira se todas as opções estão iguais as da imagem abaixo e prossiga.

clique aqui para ver a imagem


Na quarta guia (Normalize), desmarque a opção “Normalize”; É extremamente importante desmarcar esta opção.

clique aqui para ver a imagem


Na quinta guia (Filename); Você notará dois campos brancos com textos que podem ser editados. Você também verá (%T) sem parênteses nestes campos. O EAC gera os nomes dos arquivos usando seqüências como: Número da Música – Artista – Título. Você pode experimentar com as várias combinações para construir o nome do arquivo. De qualquer forma, mantenha-o simples e coloque o número da música (%N) primeiro. A combinação mais usada mundialmente é (%N - %A - %T).

Confira se todas as opções estão iguais as da imagem abaixo e prossiga.

clique aqui para ver a imagem


OBS. É importante desmarcar “Upper all characters (on writing)”, e marcar “Include artist in the CD-Text track title entry (on writing)” na oitava guia (Write), nas opções do “CD-Text options”.

Agora selecione a nona guia (Interface) e marque a opção "Installed external ASPI interface”. Este é o arquivo wnaspi32.dll que você copiou para a pasta do EAC depois da instalação. E é muito importante usar a interface ASPI, que é muito melhor do que a do Windows XP.

NOTA sobre o Windows 7
A interface ASPI deve ser instalada no Windows XP. Versões mais novas, como o Windows 7, tiveram a interface atualizada e corrigida.

Confira se todas as opções estão iguais as da imagem abaixo e clique em “OK” para prosseguir.

Esta seção está completa.


clique aqui para ver a imagem



2.2. Verificando ou Configurando as Opções do CD-ROM

Esta é uma das mais importantes partes da configuração do EAC.

- Pressione F10. Desmarque “Show this information next time” e Clique “OK” para fechar a caixa de dialogo que apareceu;

- Selecione a primeira guia (Extraction Method) e marque Secure mode with following drive features (recommended);

- Marque também 'Drive has 'Accurate Stream' feature' e 'Drive caches audio data.'

Confira se todas as opções estão iguais as da imagem abaixo e prossiga.

clique aqui para ver a imagem


Selecione a segunda guia (Drive).

- Selecione o menu suspenso em “Drive read command” e selecione “Autodetect read command”;

- Insira um CD de áudio (CD original) no CD-ROM que você vai usar para ripar músicas e clique em “Autodetect read command now”. Em poucos segundos o EAC mostrará o comando correto para o seu CD-ROM.

Confira se todas as opções estão iguais as da imagem abaixo e prossiga.

clique aqui para ver a imagem


Selecione a terceira guia (Offset/Speed):

- Marque 'Use read sample offset correction';

- No campo branco, digite o valor da correção de leitura do seu CD-ROM em “Read sample offset correction value”, que pode ser encontrado aqui.

OBS. O modelo do seu CD-ROM está sendo mostrado no topo da janela (barra de títulos). Provavelmente seja mais fácil pesquisar pelo número do modelo. (ex. DRU-720A);

- Marque 'Allow speed reduction during extraction' e 'CD-Text Read capable drive.'

Confira se todas as opções estão iguais as da imagem abaixo e prossiga.

clique aqui para ver a imagem


Selecione a quarta guia (Gap Detection).

- É recomendado usar “Detection Method A”. Selecione a opção no menu suspenso em “Gap/Index retrieval method”: Esta função permite escolher um método que torne a ripagem mais rápida. Tente as outras configurações caso seu CD-ROM extraia o CD muito lentamente. Um dos modos funcionará com seu drive. Mas tenha em mente que o processo mais rápido de ripagem demorará em média 30 min. ou mais, dependendo das condições do CD.

- Selecione “Secure” no menu suspenso da opção “Detection accuracy”.

Confira se todas as opções estão iguais as da imagem abaixo e clique no botão “OK”.

clique aqui para ver a imagem


Esta seção está completa.



2.3. Configurando as Opções do Codec FLAC

As configurações do EAC e do CD-ROM estão prontas. Mas você precisa configurar as opções do codec desejado. Nesta seção configuraremos o codec FLAC e no final deste guia configuraremos o codec LAME mp3.

E a primeira coisa a se fazer é conseguir o codec clicando aqui.


OBS. Se você tiver baixado e instalado a versão citada neste guia (v0.99 prebeta 4 do dia 23-Jan-08) então você não precisa baixar e nem instalar o codec acima, este já foi instalado em uma sub pasta dentro da pasta de instalação do EAC. Mas ainda é necessário mostrar o caminho ao utilitário. Continue lendo!


Se a versão que você está usando é outra, então abra o arquivo *.zip que você baixou e extraia o arquivo flac.exe para a pasta onde o EAC foi instalado (por padrão o EAC é instalado em: C:Arquivo de Programas Exact Audio Copy) ou em C:Arquivo de Programas Exact Audio Copy Flac

De volta ao EAC, pressione F11 e selecione a segunda guia (External Compression):

- Marque 'Use external program for compression;

- Clique no menu suspenso da opção "Parameter passing scheme” e selecione “User Defined Encoder;

- Digite .flac no campo em branco da opção 'Use file extension' (digite o ponto na frente da palavra flac).

Em seguida nós precisamos configurar o caminho para o executável do FLAC. Clique no botão “Browse...” e localize o executável flac.exe. Se você seguiu minha sugestão então o codec foi instalado em C:Arquivo de Programas Exact Audio Copy Flac

No campo da opção “Additional command line options” copie e cole as linhas de comando abaixo de acordo com a respectiva versão do EAC: Certifique que o comando foi copiado exatamente como mostrado abaixo.

EAC v0.99:
-8 -A tukey(0.25) -A gauss(0.1875) -b 4096 -V -T "artist=%a" -T "title=%t" -T "album=%g" -T "date=%y" -T "tracknumber=%n" -T "genre=%m" %s --sector-align
Ou
-T "artist=%a" -T "title=%t" -T "album=%g" -T "date=%y" -T "tracknumber=%n" -T "genre=%m" -5 %s

OBS. A última linha é para aqueles que não conseguem salvar as configurações quando a primeira linha é usada nas versões 1.0b1 e 1.0b2.

EAC 1.0b3 (1.0 beta 3):
-T "artist=%artist%" -T "title=%title%" -T "album=%albumtitle%" -T "date=%year%" -T "tracknumber=%tracknr%" -T "genre=%genre%" -5 %source%

- Simplesmente ignore o campo “Bit rate” e os selecionadores “High quality” e “Low quality”. O bit rate da compressão será desconsiderado e o arquivo não terá perda nenhuma de qualidade, mas mesmo assim será muito menor do que um arquivo WAV, AIFF e até menor do que um Apple Lossless (ALAC ou ALE), como mencionei no Tópico O Que é FLAC e Suas Vantagens, e caso não tenha lido ainda, clique aqui.

Ainda nesta guia, configure as últimas quatro opções como mostrado na imagem abaixo, e clique no botão “Ok” para prosseguir.

clique aqui para ver a imagem


Verifique as configurações na página da quarta guia (ID3 Tag) e iguale conforme as da imagem abaixo.

clique aqui para ver a imagem


Clique no botão “OK” para salvar temporariamente as configurações.

Esta seção está completa.



2.4. Salvando as Opções de Compressão para um Perfil

Você configurou corretamente as opções do EAC e do codec FLAC, e agora é o momento de SALVAR essas configurações para um perfil próprio de forma que você NÃO tenha que configurar tudo novamente. Isto é conveniente, por exemplo, se você quer usar vários codecs, porque cada vez que você muda as opções de compressão no EAC, as configurações antigas são perdidas. Por exemplo, você pode criar um perfil para o codec FLAC e um perfil para o codec LAME mp3. Você cria seu novo perfil de duas formas:

1º Método

- Pressione as teclas Shift+F2

clique aqui para ver a imagem


- Digite um nome para o perfil. Eu sugiro criar um que faça você se lembrar do codec, ou até usar o nome do codec para o perfil.

- Escolha uma localização para salvar. Existe uma pasta de perfil dentro da pasta da instalação do EAC. (C:Arquivo de Programas Exact Audio Copy Profiles) ou escolha a pasta de sua preferência. Sugiro também copiar o arquivo para outro diretório, e se possível em outro HD, criando assim um backup (copia reserva do arquivo) que poderá ser usado caso você desinstale o EAC.


2º Método

- Na barra de status, na parte de baixo da janela principal do EAC, você notará os botões; Load, Save, New and Delete. Com estes botões você pode administrar os perfils no EAC.

clique aqui para ver a imagem


- Clique no botão “New”. A janela abaixo aparecerá. Providencie um nome para o perfil, marque “Compression options” e clique no botão “OK”. Você criou e automaticamente salvou seu perfil em C:Arquivo de Programas Exact Audio Copy Profiles.

OBS. Você pode também clicar em “All EAC options” para salvar todas as configurações feitas no EAC e também o perfil sendo usado ou que foi configurado pela última vez.

clique aqui para ver a imagem


Seu novo perfil foi adicionado ao menu suspenso, ao lado do botão “Load”. Se você tem vários perfils na lista, você pode mudar entre eles selecionando um e depois pressionando o botão “Load”. O segundo método é melhor do que o primeiro pela simplicidade e por necessitar menos tempo para salvar, mas recomendo salvar usando os dois métodos já que o primeiro pode servir como um backup.

clique aqui para ver a imagem



3. Usando o EAC

Insira o CD original que você quer ripar no seu CD-ROM e espere até que o EAC solicite as informações no banco de dados online do freedb. Verifique os títulos porque as informações são enviadas por voluntários para o freedb e freqüentemente apresentam erros. Caso seja necessário editar alguma faixa, selecione-a e pressione F2.



3.1. Ripando um CD de Áudio

Este é o método de extração mais comum. Repita este processo cada vez que você quiser ripar um CD.

- Selecione somente as faixas desejas, ou não selecione nenhuma se você deseja ripar o álbum todo.

- Pressione F4. O EAC detectará os intervalos entre cada faixa do disco.

clique aqui para ver a imagem


- Crie um CUE (descrição referente à ripagem das faixas) clicando em “Action > Create CUE Sheet > Multiple WAV Files With Gaps... (Noncompliant)” na barra de menus.

- O CUE deve ser salvo na mesma pasta que você planeja salvar os arquivos comprimidos (extraídos do CD).

- Pressione Shift+F6. O EAC solicitará que você mostre onde os arquivos deverão ser salvos e começará o processo de extração (ripagem). Sugiro que você crie uma pasta com um nome como “Músicas”, em um local que você não vá precisar movê-la ou deletá-la, e então vá criando sub pastas com o nome de cada CD, como por exemplo, Artista – Albúm [Ano-FLAC-Lossless-Log-Cue].

clique aqui para ver a imagem


O EAC testará cada faixa e então lerá, copiará e codificará as faixas do CD usando o compressor externo que você configurou, que se você estiver seguindo o passo a passo desde o início, será o codec FLAC.

Durante a extração você algumas vezes notará pontos vermelhos acendendo na caixa de dialogo. E depois que a extração terminar você verá um log (relatório) com coisas como Peak Level (Nível Máximo) e Track Quality (Qualidade da Faixa). Quando um Read Error (Erro de Leitura) ou Sync Error Occurs (Ocorreu um Erro de Sincronização) for mostrado, existe um erro incorrigível na leitura dos dados do áudio. Isso acontece quando o CD está MUITO arranhado.

Depois da extração você receberá uma lista exata da localização dos dados suspeitos. Todos estes detalhes são muito importantes e por isso o arquivo *.txt (o Log File) deve ser salvo junto com os arquivos de áudio.

clique aqui para ver a imagem


Quando a mensagem Audio Extraction Complete (Extração do Áudio Terminada) aparecer:

- Clique no botão “OK”;

- Não feche o EAC imediatamente porque provavelmente o compressor poderá ainda estar processando alguma faixa. Tenha certeza de que todas as codificações terminaram antes de fechá-lo.

- Abra a pasta onde você salvou os arquivos comprimidos. Existirá um arquivo *.txt que contém informações tal como o formato usado, Track Quality (Qualidade da Faixa) e no campo Additional command line options (Adicional configurações da linha de comando) constará o comando usado no compressor. Neste Log File (*.txt) também constará qualquer erro que tenha ocorrido durante a extração. Estas informações servirão, como qualquer outra informação contida em tal documento e não mencionada aqui, para descrever como o EAC e o compressor foram configurados. Este Log File é o “Selo de Garantia” da qualidade da ripagem.

- Na mesma pasta, existirá também um arquivo *.m3u playlist (lista das músicas) que pode ser aberto com qualquer player que suporte DirectShow, e ele carregará todas as faixas como se fosse o CD original.



Parabéns! Você ripou um CD corretamente e criou uma cópia exata (um backup). Você pode agora começar a usar o EAC para ripar (extrair) seus álbuns preferidos e criar sua biblioteca digital ou continuar lendo, caso seu objetivo seja ripar e codificar em outro formato.



NOTA
Prepare se para ver a imagem abaixo, com a mensagem Audio Extraction Complete (Extração do Áudio Terminada), somente depois de aproximadamente 30 min. ou mais, dependendo do estado do CD.

clique aqui para ver a imagem




4. Configurando as Opções do Codec LAME mp3

Esta seção é importante caso você queira somente uma cópia do CD como MP3 e não queria armazenar suar músicas digitais como um backup.

Caso não tenha interesse em ripar seus CDs como MP3, então esta seção não precisa ser lida!

Como já passamos por todas as seções (Instalação, Configurando as Opções no Exact Audio Copy, Verificando ou Configurando as Opções do CD-ROM, Salvando as Opções de Compressão para um Perfil, Usando o EAC e Ripando um CD de Áudio) mostrarei a você somente como configurar o codec LAME mp3.

E a primeira coisa a se fazer é consegui-lo clicando aqui ou aqui.

- Abra o arquivo que você baixou e extraia o arquivo lame.exe e suas DLLs (.dll) para a pasta onde o EAC foi instalado. Por padrão o EAC é instalado em: C:Arquivo de Programas Exact Audio Copy) ou em C:Arquivo de Programas Exact Audio Copy Lame;

Pressione F11 e selecione a segunda guia (External Compression):

- Marque 'Use external program for compression;

- Clique no menu suspenso da opção "Parameter passing scheme” e selecione “User Defined Encoder;

- Digite .mp3 no campo em branco da opção 'Use file extension' (digite o ponto na frente da palavra mp3).

Em seguida nós precisamos configurar o caminho para o executável do LAME. Clique no botão “Browse...” e localize o executável lame.exe. Se você seguiu minha sugestão então o codec foi instalado em C:Arquivo de Programas Exact Audio Copy Lame

Copie e cole uma das linhas de comando abaixo (de acordo com seu propósito ou preferência) no campo da opção “Additional command line options”: Certifique que o comando foi copiado exatamente como mostrado abaixo.

Para ripar e codificar seu arquivo MP3 com um bit rate de 220 a 260 Kbps (VBR) use o comando abaixo, que codificará as músicas com o “preset” V0

-V 0 --vbr-new --add-id3v2 --ignore-tag-errors --ta "%a" --tt "%t" --tg "%m" --tl "%g" --ty "%y" --tn "%n" %s %d

Mas se preferir ripar e codificar seu arquivo MP3 com um bit rate de 170 a 210 Kbps (VBR), use o comando abaixo que codificará as músicas com o “preset” V2.

-V 2 --vbr-new --add-id3v2 --ignore-tag-errors --ta "%a" --tt "%t" --tg "%m" --tl "%g" --ty "%y" --tn "%n" %s %d


clique aqui para ver a imagem


Ainda nesta guia, configure todas as opções como mostrado na imagem abaixo, e clique no botão “Ok” para prosseguir.

clique aqui para ver a imagem

Não se esqueça de SALVAR essas configurações para um perfil próprio, com o nome LAME mp3, de forma que você não tenha que configurar tudo novamente, e possa escolher o codec desejado, como explicado na seção “Salvando as Opções de Compressão para um Perfil”.

Esta seção está completa.



5. Configurando as Opções da Guia “External Compression” Para Ripar como WAV

Nesta seção mostrei as configurações necessárias para que o EAC ripe seu CD como WAV.

Caso não tenha interesse em ripar seus CDs como WAV, então você não precisa ler esta seção!

Abra o EAC, pressione F11 e selecione a segunda guia (External Compression):

- Desmarque a opção 'Use external program for compression’;

- Desmarque a opção ‘Delete WAV after compression’.

Confira se todas as opções estão iguais as da imagem abaixo e clique no botão “OK”.

clique aqui para ver a imagem


Não se esqueça de SALVAR essas configurações para um perfil próprio, com o nome WAV, de forma que você não tenha que configurar tudo novamente, e possa escolher o codec desejado, como explicado na seção “Salvando as Opções de Compressão para um Perfil”.


Parabéns! Você agora sabe como ripar um CD corretamente e em vários formatos.


Este programa é realmente lento se comparado a outros ripadores, mas lembre se, ele examina todos os setores repetidamente até ler corretamente os dados, e é por isso que o EAC é o melhor ripador que existe para o Windows.


Abraços a todos e qualquer dúvida estou à inteira disposição.

Obs. Este guia é de minha autoria!

Editado por DoctorBR, 07 de abril de 2012 - 20h07min.
Atualizações!


#2 prankstare

prankstare

    Novato

  • Membros Plenos
  • Pip
  • 107 posts
  • Membro desde 09/11/2007
0
Neutra
  • Marília, SP

Postado 23 de maio de 2008 - 23h28min

Boa!

Muito, muito bom! Já tá nos meus fav's ^ ^

Pergunta: você lembra qual era o commandline pra adicionar texto no "comment field" do EAC para o Lame?


#3 DoctorBR

DoctorBR

    Novato

  • Membros Plenos
  • Pip
  • 111 posts
  • Membro desde 12/05/2008
7
Neutra
  • Goiânia, Goiás

Postado 24 de maio de 2008 - 15h11min

Boa!

Muito, muito bom! Já tá nos meus fav's ^ ^

Pergunta: você lembra qual era o commandline pra adicionar texto no "comment field" do EAC para o Lame?



Olá prankstare,

Fico feliz que tenha gostado do guia, mas sua pergunta me confundiu!

O símbolo %e seria usado na linha de comando do EAC para adicionar o comentário, mas você adicionará comentários de que forma no EAC, já que ele não possuiu um campo para comentários (comment field)?

O EAC possui somente os campos CD Title, CD Artist, Year, Genre e freedb. O que quero dizer é que se você usar a linha de comando que sugeri no guia você estará usando o formato ID3v2 para rotular seus arquivos MP3, e no campo “Comment” (comentário) no Winamp, por exemplo, você verá “Track X” (número da faixa) quando estiver ouvindo suas músicas.

Realmente não entendi muito bem sua pergunta e nem seu propósito. Se puder explicar melhor, ou dar um exemplo do que deseja talvez eu possa lhe ajudar um pouco mais.

Abraços.


#4 prankstare

prankstare

    Novato

  • Membros Plenos
  • Pip
  • 107 posts
  • Membro desde 09/11/2007
0
Neutra
  • Marília, SP

Postado 24 de maio de 2008 - 20h28min

Ah, achei o comando pra adicionar um "comment" no comment field do MP3 (é o --tc "seu comentário", encontrado no coder L.A.M.E. e não no EAC). Desculpe eu falei errado anteriormente. Uma pergunta: o que é esse comando %e?

A minha linha de comando no EAC está assim (desta maneira, como o EAC está configurado em 'User Defined Encoder', com a linha --tc ele bypass a ordem do próprio EAC de colocar o número da faixa dentro do comment field, como você disse em seu post anterior) :
-b 256 --id3v2-only --pad-id3v2 --ta "%a" --tt "%t" --tg "%m" --tl "%g" --ty "%y" --tn "%n" --tc "EAC Secure & Lame 3.97 [-b 256]" %s %d


Fica descrito "EAC Secure & Lame 3.97 [-b 256]" no comment field do Winamp ^^



PS: Por acaso tu sabe como utilizar o CD Bremse efetivamente com o EAC? Ou algum outro software que limita a velocidade do drive enquanto ripando? Já testei o Nero DriveSpeed, CD Bremse mas nenhum realmente limita a velocidade.


#5 DoctorBR

DoctorBR

    Novato

  • Membros Plenos
  • Pip
  • 111 posts
  • Membro desde 12/05/2008
7
Neutra
  • Goiânia, Goiás

Postado 24 de maio de 2008 - 22h18min

...A minha linha de comando no EAC está assim (desta maneira, como o EAC está configurado em 'User Defined Encoder', com a linha --tc ele bypass a ordem do próprio EAC de colocar o número da faixa dentro do comment field, como você disse em seu post anterior) :


-b 256 --id3v2-only --pad-id3v2 --ta "%a" --tt "%t" --tg "%m" --tl "%g" --ty "%y" --tn "%n" --tc "EAC Secure & Lame 3.97 [-b 256]" %s %d


Fica descrito "EAC Secure & Lame 3.97 [-b 256]" no comment field do Winamp ^^

PS: Por acaso tu sabe como utilizar o CD Bremse efetivamente com o EAC? Ou algum outro software que limita a velocidade do drive enquanto ripando? Já testei o Nero DriveSpeed, CD Bremse mas nenhum realmente limita a velocidade.


prankstare a linha de comando que você está usando faz com que o formato da “Tag” usada seja a ID3v2 (--id3v2-only --pad-id3v2) exatamente como sugeri na linha de comando que coloquei no guia, mas sua seqüência poderá gerar erros se você tentar usar um gênero que não seja padrão, por isso é importante substituir --id3v2-only --pad-id3v2 por --add-id3v2 --ignore-tag-errors exatamente como sugerido no guia.

Não sei porque motivo você precisa determinar uma bit rate (taxa de amostragem) fixa em suas codificações, mas o método CBR não é eficiente como o método VBR. O método CBR que você está usando somente torna o arquivo maior e não adiciona qualidade alguma (pelo menos audível) no arquivo final, se comparado ao “Preset” V0 que sugeri no guia.

Se você realmente precisa saber exatamente a bit rate usada, então seria melhor usar o -b 320 –“Preset Insane” (-b 320). Mas para um formato que descarta dados como MP3, o recomendado é usar o “Preset” V0, ou seja, a linha de comando abaixo:


-V 0 --vbr-new --add-id3v2 --ignore-tag-errors --ta "%a" --tt "%t" --tg "%m" --tl "%g" --ty "%y" --tn "%n" %s %d


ou, no seu caso em específico, a linha de comando abaixo:


-V 0 --vbr-new --add-id3v2 --ignore-tag-errors --ta "%a" --tt "%t" --tg "%m" --tl "%g" --ty "%y" --tn "%n" --tc "EAC Secure & Lame v3.97 [ Preset V0]" %s %d


Quanto ao utilitário para limitar a velocidade do CD-ROM. Realmente não entendo o motivo pelo qual você gostaria de fazer isso! O EAC é muito eficiente neste ponto também.

Se você seguiu meu guia, suas ripagens serão perfeitas e a qualidade do áudio, considerando as limitações do codec MP3, serão PERFEITAS!

Abraços.
:)


#6 prankstare

prankstare

    Novato

  • Membros Plenos
  • Pip
  • 107 posts
  • Membro desde 09/11/2007
0
Neutra
  • Marília, SP

Postado 24 de maio de 2008 - 23h38min

prankstare a linha de comando que você está usando faz com que o formato da “Tag” usada seja a ID3v2 (--id3v2-only --pad-id3v2) exatamente como sugeri na linha de comando que coloquei no guia, mas sua seqüência poderá gerar erros se você tentar usar um gênero que não seja padrão, por isso é importante substituir --id3v2-only --pad-id3v2 por --add-id3v2 --ignore-tag-errors exatamente como sugerido no guia.


Uhm. Mas qualquer erro na escrita do gênero (genre) o EAC vai parar, não? Daí eu modifico manualmente as tags :)


Não sei porque motivo você precisa determinar uma bit rate (taxa de amostragem) fixa em suas codificações, mas o método CBR não é eficiente como o método VBR. O método CBR que você está usando somente torna o arquivo maior e não adiciona qualidade alguma (pelo menos audível) no arquivo final, se comparado ao “Preset” V0 que sugeri no guia.

Se você realmente precisa saber exatamente a bit rate usada, então seria melhor usar o -b 320 –“Preset Insane” (-b 320). Mas para um formato que descarta dados como MP3, o recomendado é usar o “Preset” V0


Então, acho que é só placebo mesmo (ou por segurança) que resolvi utilizar o -b 256. Eu venho utilizando o EAC pra ripar em Musepack, MP3, etc todos esses coders lossy já há algum tempo e sempre utilizando-os em seus presets "standard", assim dizendo (Musepack -> Q5 ou Q7 / MP3 -> sempre utilizei o --alt-preset standard no 3.90.3 ou -V2 no 3.97 agora). Estou querendo dar um "up" e recomeçar todo o processo de ripagem dos meus CD's novamente.

Até acho que entendo o que você diz, sobre desperdício de bits (CBR) e tal. Porém, teoricamente dizendo o CBR dá mais qualidade do que a taxa de bits variável pois, como já dito o CBR não muda a taxa de bits (ou seja, se você escolhe um preset com um alto número de bits, como é o -b 256 ou o -b 320, a qualidade será "constante" e alta, mesmo para frames que não requerem 256kbit/s ou 320kbit/s). Como você já deve saber, --alt-preset standard ou -V 2, que são VBR, não quer dizer que a qualidade será constante por ter uma taxa de bits variada, mas sim que o codec irá tentar manter o nível de transparência em todos os frames somente em relação ao que o ouvido humano pode perceber, e não uma "qualidade constante". Isso só pode ser afirmado quando numa taxa de bits constante e alta, pois assim dificilmente haverá artefatos durante a codificação. Mas enfim como sabemos, a própria sigla "lossy" quer dizer que nunca terá qualidade idêntica ao original. Hehe :lol:

Ah sim. Utilizo o -b 256 por preferência sonora mesmo (sei que deve ser só placebo, ou a maneira como o decoder MP3 do Foobar reage ao CBR) pois pra ver se tem qualquer diferença só com um teste duplo cego (ABX), o que muito provavelmente não daria em nada pelo elevado número de bits. Mas tentando explicar o por que de utilizar -b 256 ao invés do -V 0, que por sinal também é ótimo, seria igual pegar e ouvir uma música codificada com o coder Musepack mppenc 1.14 beta contra um mppenc 1.15r ou os próprios mppenc 1.16 que hoje é a versão atual dele. Há uma "sensação" sonora diferente entre ambos, mesmo se usando presets idênticos (ex: Q7 e Q7 para ambas versões).

Mas também concordo em o pessoal utilizar o preset -V 0 em suas MP3's sim, como descrito neste ótimo tutorial. Não há "nada" de diferenças perceptíveis entre utilizar -b 256 ou -V 0, tecnicamente dizendo :D


#7 DoctorBR

DoctorBR

    Novato

  • Membros Plenos
  • Pip
  • 111 posts
  • Membro desde 12/05/2008
7
Neutra
  • Goiânia, Goiás

Postado 25 de maio de 2008 - 09h47min

Então, acho que é só placebo mesmo (ou por segurança) que resolvi utilizar o -b 256. Eu venho utilizando o EAC pra ripar em Musepack, MP3, etc todos esses coders lossy já há algum tempo e sempre utilizando-os em seus presets "standard", assim dizendo (Musepack -> Q5 ou Q7 / MP3 -> sempre utilizei o --alt-preset standard no 3.90.3 ou -V2 no 3.97 agora). Estou querendo dar um "up" e recomeçar todo o processo de ripagem dos meus CD's novamente.


O “Preset” V2 codifica seus arquivos MP3 com uma bit rate de 170 a 210 Kbps (VBR), ou seja, seria praticamente o mesmo que configurar em CBR com 192 kbps. Não sei se seu propósito é criar um backup dos seus CDs ou somente extrair as músicas para ouvir em um player portátil, mas caso esteja fazendo um backup, eu altamente sugiro o uso do codec FLAC. Mas caso só queira ouvir em um MP3 Player, por exemplo, então você estaria no caminho certo se estivesse usando o “preset” V0, que codifica seus arquivos MP3 com uma bit rate de 220 a 260 Kbps (VBR), ou seja, praticamente o mesmo que configurar em CBR com 256 kbps.

Até acho que entendo o que você diz, sobre desperdício de bits (CBR) e tal. Porém, teoricamente dizendo o CBR dá mais qualidade do que a taxa de bits variável, pois, como já dito o CBR não muda a taxa de bits (ou seja, se você escolhe um preset com um alto número de bits, como é o -b 256 ou o -b 320, a qualidade será "constante" e alta, mesmo para frames que não requerem 256kbit/s ou 320kbit/s). Como você já deve saber, --alt-preset standard ou -V 2, que são VBR, não quer dizer que a qualidade será constante por ter uma taxa de bits variada, mas sim que o codec irá tentar manter o nível de transparência em todos os frames somente em relação ao que o ouvido humano pode perceber, e não uma "qualidade constante". Isso só pode ser afirmado quando numa taxa de bits constante e alta, pois assim dificilmente haverá artefatos durante a codificação. Mas enfim como sabemos, a própria sigla "lossy" quer dizer que nunca terá qualidade idêntica ao original. Hehe :lol:

Ah sim. Utilizo o -b 256 por preferência sonora mesmo (sei que deve ser só placebo, ou a maneira como o decoder MP3 do Foobar reage ao CBR) pois pra ver se tem qualquer diferença só com um teste duplo cego (ABX), o que muito provavelmente não daria em nada pelo elevado número de bits. Mas tentando explicar o por que de utilizar -b 256 ao invés do -V 0, que por sinal também é ótimo, seria igual pegar e ouvir uma música codificada com o coder Musepack mppenc 1.14 beta contra um mppenc 1.15r ou os próprios mppenc 1.16 que hoje é a versão atual dele. Há uma "sensação" sonora diferente entre ambos, mesmo se usando presets idênticos (ex: Q7 e Q7 para ambas versões).

Mas também concordo em o pessoal utilizar o preset -V 0 em suas MP3's sim, como descrito neste ótimo tutorial. Não há "nada" de diferenças perceptíveis entre utilizar -b 256 ou -V 0, tecnicamente dizendo :D


Infelizmente você está enganado com relação às configurações que está usando. O codec LAME mp3 v3.97 é o melhor que existe quando o assunto é MP3. O codec foi escrito priorizando o método VBR (Variable Bit Rate – Taxa de Amostragem Variável) e mesmo que o “Preset Insane” (-b 320 que é em CBR) seja usado, o custo benefício não compensa. Ou seja, o “Preset V0” (que é em VBR), produzirá arquivos menores do que o “Preset Insane” (-b 320) e a diferença será praticamente inaudível. Além disso, quem ripa CDs e codifica os arquivos como MP3 tem um único objetivo, ouvir em aparelhos portáteis, ouvir nas caixinhas que acompanham o computador e às vezes em aparelhos de carros. Agora se você usar um codec como o FLAC para comparar com um formato como o MP3 você conseguirá ouvir claramente as diferenças, como mencionei no Tópico O Que é FLAC e Suas Vantagens, e caso não tenha lido ainda, clique aqui.

Volto a repetir, se seu objetivo é arquivamento, ou seja, criar uma cópia exata dos seus CDs de forma que você possa restaurá-los em caso de perdas, então você deveria utilizar o codec FLAC.

Como você mesmo mencionou, codecs como AAC, WMA, MP3 são formatos “lossy”, ou seja, descartam dados da música (entenda como instrumentos músicas), já um codec “lossless”, como o FLAC, não!

Abraços.
:)


#8 prankstare

prankstare

    Novato

  • Membros Plenos
  • Pip
  • 107 posts
  • Membro desde 09/11/2007
0
Neutra
  • Marília, SP

Postado 25 de maio de 2008 - 10h41min

O “Preset” V2 codifica seus arquivos MP3 com uma bit rate de 170 a 210 Kbps (VBR), ou seja, seria praticamente o mesmo que configurar em CBR com 192 kbps......Mas caso só queira ouvir em um MP3 Player, por exemplo, então você estaria no caminho certo se estivesse usando o “preset” V0, que codifica seus arquivos MP3 com uma bit rate de 220 a 260 Kbps (VBR), ou seja, praticamente o mesmo que configurar em CBR com 256 kbps.



Amigo, utilizar -V 2 não é nem de perto a mesma coisa que utilizar -b 192. Mesmo que de fato o coder L.A.M.E. não tenha um sistema VBR de verdade (isso é, para o codec não existe nem 170, nem 210, nem 235kbps que seja...), que é uma limitação notável do formato MP3, você deveria saber melhor que eu que bitrate não significa tudo em uma codificação (principalmente em formatos lossy). Há muitas diferenças bem mais técnicas que nem eu entendo direito, como a configuração diferente do noise shaping, ATH, Masking, etc. Só usar o comando --verbose que irá notar.

Hehe... amigo, talvez você se precipitou um pouco ao dizer que "o caminho certo" é fazer isso ou aquilo. Acrescentado pelo fato de que você me indicou o preset -V 0, que não é nem o preset standard (-V 2) do coder, que já deveria ser transparente ao ouvido humano. Ou seja, pra que usar "mais" do que o necessário? Segurança (e placebo) :)


Infelizmente você está enganado com relação às configurações que está usando. O codec LAME mp3 v3.97 é o melhor que existe quando o assunto é MP3. O codec foi escrito priorizando o método VBR (Variable Bit Rate – Taxa de Amostragem Variável) e mesmo que o “Preset Insane” (-b 320 que é em CBR) seja usado, o custo benefício não compensa.



L.A.M.E. sendo "melhor" ou "pior" talvez seja relativo. Até porque você já deve saber que esse codec somente é mais conhecido e notável que os outros pelo caminhão de testes já feitos sobre ele (em sua vasta maioridade pelo pessoal do fórum HA.org). Agora dificilmente alguém conseguiria distinguir qualquer codec MP3 codificando acima de 160kbps (talvez até se usando o velho codec "Xing", de quase dez anos atrás). E, sobre o VBR e o MP3, como já disse anteriormente esse formato tem uma limitação enorme quanto ao uso de taxa variável, podendo utilizar somente os seguintes valores pra cada frame de audio: 8, 16, 24, 32, 40, 48, 64, 80, 96, 112, 128, 160, 192, 224, 256, ou 320kbps. Mas fazer o quê? Não tem jeito... É MP3 :lol:

Ah sim. É verdade. FLAC é muito bom pra ter realmente uma cópia idêntica do CD original. Já utilizei bastante ele pra backup ^^


#9 DoctorBR

DoctorBR

    Novato

  • Membros Plenos
  • Pip
  • 111 posts
  • Membro desde 12/05/2008
7
Neutra
  • Goiânia, Goiás

Postado 25 de maio de 2008 - 11h25min

Pude notar que é mesmo uma questão pessoal sua usar o “Preset –b 256” do LAME mp3 v3.97, mas para não sairmos do tópico, e para que quem esteja interessado em usar o Exact Audio Copy para ripar seus CDs corretamente não fique confuso, o importante é seguir o guia para que as músicas sejam extraídas sem erros, preservando assim a máxima qualidade possível durante a extração, seja em WAV, FLAC ou MP3.

Ah sim. É verdade. FLAC é muito bom pra ter realmente uma cópia idêntica do CD original. Já utilizei bastante ele pra backup ^^


Que bom que tenha reconhecido que o codec FLAC é realmente bom para se criar backups e ou armazenamento, e que o Exact Audio Copy é o único utilitário capaz de extrair músicas de CDs corretamente, já que também o utiliza.

Abraços e qualquer dúvida sobre o guia é só perguntar.
:)


#10 prankstare

prankstare

    Novato

  • Membros Plenos
  • Pip
  • 107 posts
  • Membro desde 09/11/2007
0
Neutra
  • Marília, SP

Postado 25 de maio de 2008 - 14h45min

Ah, blz, DoctorBR.

Só pra ressaltar novamente, gostei muito deste tutorial. Me ajudou bastante a configurar o EAC pois não lembrava algumas funções dele (faz algum tempo que não o configurava) ^_^

Abraços! :lol:


#11 vmirol

vmirol

    Novo Usuário

  • Membros Juniores
  • Pip
  • 1 posts
  • Membro desde 27/05/2008
0
Neutra
  • São Paulo

Postado 27 de maio de 2008 - 18h57min

Parabens pelo artigo, DoctorBR!:)
Utilizo, também, EAC e FLAC.
Queria saber se voce - como eu faço - útiliza ou utilizou REACT 2.0 junto com o EAC. Se assim for, se sabe onde pode estar o problema de esta combinação com is tags do FLAC. Eu faço, ao mesmo tempo, ripping para FLAC e MP3 LAME VBR 320 (por isso utilizo REACT). Com a versão 0,94 do EAC não habia problemas com os TAGS.
Obrigado


#12 DoctorBR

DoctorBR

    Novato

  • Membros Plenos
  • Pip
  • 111 posts
  • Membro desde 12/05/2008
7
Neutra
  • Goiânia, Goiás

Postado 27 de maio de 2008 - 19h29min

Parabens pelo artigo, DoctorBR!:)
Utilizo, também, EAC e FLAC.
Queria saber se voce - como eu faço - útiliza ou utilizou REACT 2.0 junto com o EAC. Se assim for, se sabe onde pode estar o problema de esta combinação com is tags do FLAC. Eu faço, ao mesmo tempo, ripping para FLAC e MP3 LAME VBR 320 (por isso utilizo REACT). Com a versão 0,94 do EAC não habia problemas com os TAGS.
Obrigado


Obrigado pelo reconhecimento do meu trabalho.

Nunca utilizei o REACT (Run EAC Tasks) para permitir que o EAC possa codificar arquivos múltiplos. Na verdade uso o EAC para extrair as músicas como FLAC (para uso particular) e como WAV (para uso profissional), por isso nunca precisei do REACT

O que sei é que o REACT v2.0 Final não funciona na versão 0.99 prebeta 1-4 do EAC, lamento!

Abraços.
:)


#13 OBEY

OBEY

    Usuário Júnior

  • Membros Plenos
  • PipPip
  • 172 posts
  • Membro desde 13/07/2006
0
Neutra
  • Goiânia, GO

Postado 31 de maio de 2008 - 21h04min

Parabéns pelo tutorial, realmente foi de grande valia!
Minha dúvida é de outra ordem, possuo um album em flac no meu HD, queria poder ouvir-lo em um cd-player comum sem ter de fazer conversões que prejudiquem a alta qualidade do audio, é possível?


#14 felipepds

felipepds

    Novato

  • Membros Plenos
  • Pip
  • 139 posts
  • Membro desde 23/04/2007
0
Neutra
  • RJ

Postado 31 de maio de 2008 - 21h40min

isaque e possivel sim , vai no baixaki e baixa esse programa


http://baixaki.ig.com.br/download/Burn4Free.htm ; ele faz Cd legal no formato original , e e gratuito . so tem um problema nao sei ele e compativel com formato flac ,mas testa ai quem sabe .ele e bom eu uso na boa !! qualquer coisa posta ai que eu conheco outros !!

Editado por felipepds, 31 de maio de 2008 - 21h42min.


#15 DoctorBR

DoctorBR

    Novato

  • Membros Plenos
  • Pip
  • 111 posts
  • Membro desde 12/05/2008
7
Neutra
  • Goiânia, Goiás

Postado 31 de maio de 2008 - 21h52min

Parabéns pelo tutorial, realmente foi de grande valia!
Minha dúvida é de outra ordem, possuo um album em flac no meu HD, queria poder ouvir-lo em um cd-player comum sem ter de fazer conversões que prejudiquem a alta qualidade do audio, é possível?


Se o que você deseja é gravar um CD-A (.cda) para ouvir em qualquer aparelho de CD, então você terá que converter os arquivos FLAC para WAV. Se você seguiu meu guia então os arquivos LOG e CUE estão na mesma pasta dos arquivos .flac e após a conversão, abra o CUE no EAC e grave o CD que será uma cópia exata do seu CD original.

Note que a conversão de FLAC para WAV não prejudica em nada a alta qualidade do áudio, afinal FLAC é um codec lossless.

Obs. Os arquivos FLAC podem ser convertidos para WAV e gravados com qualquer utilitário de gravação.

Abraços.
:)


#16 Nish-Raa

Nish-Raa

    Usuário Presente

  • Membros Plenos
  • PipPipPip
  • 743 posts
  • Membro desde 27/06/2004
24
Muito Boa
  • Somewhere in Time

Postado 01 de junho de 2008 - 12h36min

Eu já uso o EAC há muito tempo, e passei a por todos os codecs (mp3, flac, ape, ogg, mpc,mp4) em uma pasta separada em outra partição do HD, assim como fazer um backup do profiles. Dessa forma não preciso me preocupar com todas as configurações do programa, em possíveis formatações ou algo do gênero e também uma diminuição no comandline. Quando se configura mp4, por exemplo, no comandline tem que se indicar o path do codec, tornando-o muito extenso, e esse não cabe no espaço reservado se o codec estiver na mesma pasta do EAC. No meu caso então fica: D: codecs\ e as sub pastas dos codecs (mp3,ape,etc). Nunca precisei usar o ASPI, o XP tem um nativo que funciona perfeitamente.


#17 DoctorBR

DoctorBR

    Novato

  • Membros Plenos
  • Pip
  • 111 posts
  • Membro desde 12/05/2008
7
Neutra
  • Goiânia, Goiás

Postado 01 de junho de 2008 - 13h11min

...Nunca precisei usar o ASPI, o XP tem um nativo que funciona perfeitamente.


A interface ASPI foi usada nas versões anteriores ao Windows XP e é um nível acima da interface nativa do XP, por isso é recomendado que a interface ASPI seja instalada e usada, como sugerido no guia.

A interface nativa do XP funciona sem nenhum problema, caso você realmente queira usá-la.

Abraços.
:)


#18 Nish-Raa

Nish-Raa

    Usuário Presente

  • Membros Plenos
  • PipPipPip
  • 743 posts
  • Membro desde 27/06/2004
24
Muito Boa
  • Somewhere in Time

Postado 01 de junho de 2008 - 15h07min

Bom, eu nunca notei diferença alguma de um para o outro (e eu sou chatíssimo sobre qualidade de áudio), portanto deixei de usar a versão ASPI do Nero. Eu uso um guia que eu salvei no hd intitulado “Exact Áudio Copy Quickstart Manual” (eng) explicando passo a passo toda a configuração do EAC e Mp3,Ogg Vorbis, Monkey's Audio e FLAC. É um guia meio antigo, mas ta (ou estava) quase tudo lá, coisas mais especificas pesquisei no fórum http://www.hydrogenaudio.org/. No guia que citei há um parágrafo sobre ASPI, indica o do Nero, mas é opcional caso o nativo funcione perfeitamente. Em fim, tanto faz, o importante é que funcione.




Até mais.


#19 klutzfester

klutzfester

    Novo Usuário

  • Membros Juniores
  • Pip
  • 1 posts
  • Membro desde 17/05/2008
0
Neutra
  • SP

Postado 07 de junho de 2008 - 13h09min

P-A-R-A-B-É-N-S :)
Seu tutorial ficou ótimo, voce tem outros tutoriais sobre outros assuntos?


#20 DoctorBR

DoctorBR

    Novato

  • Membros Plenos
  • Pip
  • 111 posts
  • Membro desde 12/05/2008
7
Neutra
  • Goiânia, Goiás

Postado 08 de junho de 2008 - 10h28min

P-A-R-A-B-É-N-S :)
Seu tutorial ficou ótimo, voce tem outros tutoriais sobre outros assuntos?


Obrigado pelo reconhecimento do meu trabalho.

Aqui no Fórum do Clube do Hardware criei outro tópico, mas também é sobre o mesmo assunto. O Que é FLAC e Suas Vantagens, e caso não tenha lido ainda, clique aqui.

Abraços.

:)






Tópicos que também usam as tags eac, exact audio copy, flac, lame, ripar cd:

0 usuário(s) está(ão) lendo este tópico

0 membros, 0 visitantes, 0 membros anônimos